sábado, 19 de outubro de 2013

Férias em Bahrain

Bahrain não é um país muito grande, pra falar a verdade é bem pequeno. Acabei encontrando por acaso um dos engenheiros de Marmul fazendo um lanchinho de madrugada numa lanchonete.

Nessas férias de setembro o plano era passar uns 4-5 dias em bahrain e o resto no Brasil, passagens já compradas e visto em andamento na embaixada em Mascate. Acabou que o visto atrasou (e a idiota da secretária diz que não poderemos emitir o visto por esta embaixada da próxima vez) e o Ahmed teve uns assuntos de familia e trabalho pra resolver, logo a viagem para o brasil teve que ser adiada para novembro.

Como a longa estadia em Bahrain não estava planejada, não tinha roupas para vestir por mais que 4-5 dias. Não podia sair para mais de um almoço ou jantar fora, pois só tinha uma roupa de sair. Comentei com o Ahmed minha situação de emergência, pois se tivermos que sair com a sua família não tenho o que vestir. Ele imediatamente comunicou as irmãs que tomaram aquela emergência como sendo delas próprias.

Experimentando abayas
Logo depois do almoço fomos passear no shopping e me deram um grande banho de lojas. Compramos várias roupinhas básicas, calças, camisas, vestidos e sandália baixa. Falei que salto alto e roupas não-convencionais ficam para a próxima. Aqueles que me conhecem sabe como sou difícil quando o assunto é comprar coisas para mim.

A estadia em Bahrain foi muito boa, a família dele me recebeu muito bem, a mãe dele cozinhou quase todos os dias comidas caseiras deliciosas, assisti todos os filmes em cartaz no cinema (com excessão dos filmes de terror que não faço questão de assistir),  jantei em restaurantes muito bons, fiz compritas para mim etc.

Os pontos negativos foram que o visto não saiu a tempo e tivemos que ir para a base da empresa durante vários dias das férias (resolver assuntos pendentes que não podiam esperar mais 3 semanas).

O maior ponto positivo das férias.... Cenas do próximo capítulo.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Estava eu na minha mesa de trabalho

Estava eu na minha mesa de trabalho, preparando alguns documentos pendentes quando o chefão grita o meu nome no corredor. Tudo bem, eu pensei, pode ser que ele vai me perguntar como anda o meu trabalho.

Mas aí ele me chamou para a sala com os outros dois chefes e fechou a porta. Me falaram que quando todos os chefes estão juntos e fecham a porta só pode ser coisa séria (ou feia).

Eles começaram a me fazer perguntas sobre o meu trabalho, como anda aquele relatório, como anda aquele problema, se já resolvi, etc.

Começaram a falar dos problemas da base que aconteceram no mês passado, inclusive sobre os problemas que estive envolvida. Meio que entrei em pânico. Vão me dar uma advertência pelas besteiras que fiz antes de sair de férias. Até porque sai de férias meio na pressa e deixei várias coisas pra trás.

Me perguntaram há quanto tempo estava em Fahud. Eu falei apenas 2 meses. Achei que eles tinham percebido o quanto eu estava séria e preocupada, mas caíram na risada. Não sei se saia ou continuava em modo pânico.

Observei que havia um envelope com o meu nome na mesa. Só podia ser a carta de advertência.

Eles falaram então que essa deve ser a promoção mais rápida da história de Fahud.

Agora caiu a ficha. Modo pânico se foi e fiquei aliviada. Era a minha carta de promoção, ufa.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Fahud

Jantar de despedida
Minha transferência para Fahud, ao norte do Oman foi confirmada essa semana. Decidi ser transferida mais por motivos pessoais do que profissionais, apesar de falarem que pra mim será melhor lá. Dizem que os trabalhos são mais desafiantes e será melhor para o progresso na minha carreira.

Estou animada, pronta para o que der e vier.
Amanhã é o início da minha viagem de volta até o Brasil. Não volto mais para Marmul. Já começo em Fahud depois das férias.
Já arrumei as malas, descobri que tenho muita tralha! Minhas malas não foram suficientes, tive que usar todas as mochilas e umas caixas de papelão. Nem sabia que eu tinha tanta coisa dentro do meu container.
Muito abusados

Tive um jantar de despedida meio mixuruca, quase ninguém estava na base. Não tive tempo de me despedir das meninas, todas estavam fora em trabalhos de campo. Gostei muito de trabalhar por aqui, aprendi muito, fiz bons amigos. Vou sentir saudades de Marmul.

Mas agora vai começar um outro capítulo na minha vida.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Mudanças

Acho que não faz muito tempo que escrevi um post falando sobre a motivação que as pessoas tem para trabalhar, quando não curtem o trabalho e reclamam o tempo todo. Acho que também falei que o dia que eu acordasse sem motivação, significa que algo está errado e teria que fazer alguma coisa em relação a isso.

Antes das minhas férias no Brasil já estava um pouco instatisfeita. Não com o trabalho em si, gosto do que faço, mas a atmosfera estava pesada. Todos meus amigos desmotivados, muitas coisas sendo tiradas de nós e nada em retorno. Várias transferências de pessoas, várias coisas faltando. Mau gerenciamento dos recursos e pessoas, resumindo, uma bagunça.

Me inspirei com o que está acontecendo no Brasil e resolvi tomar atitudes.

Resolvi ligar para o RH e pedir uma transferência. Pra fora do Oman, fora dessa bagunça. Não consegui, é claro. Falaram que ainda é muito cedo, não completei 2 anos de trabalho por aqui. Mas me ofereceram outra base, ao norte do Oman. Eu disse que seria a mesma coisa, mesmo cliente, mesmo ambiente. Tentaram me convenceram a tentar, tipo um test drive. Eu ainda não respondi nem que sim nem que não, mas estou refletindo sobre a possibilidade.
Me perguntaram também sobre os problemas em Marmul e o que pode ser feito para melhorar. Pois mesmo que eu saia, outras pessoas continuarão aqui passando por esses problemas. Mas mesmo que tomem iniciativas agora as melhorias só vão acontecer em alguns meses.

Ficar e ser parte das mudanças e melhorias? Ou tentar um lugar novo e desafiador?

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Férias no Brasil

Relaxando na rede
Depois de 6 semanas super estressantes, atraso na promoção, greve de operadores, despedida de amigos, semanas sem sinal de celular, resolvi aproveitar bastante as minhas merecidas férias no Brasil.

Fiquei uma semana em Muscat no início pra resolver coisas da minha promoção e do visto brasileiro para o Ahmed.
Rio Scenarium

Curti bastante as corridas férias, comemorei meu aniversário adiantado, fui a praia, samba, passeios turísticos, teleférico do alemão, corcovado, barzinho com os amigos... Enfim, tirar férias é bom demais.



Mais branca que a areia
Meu aniversário foi muito divertido, fiz um churrasquinho no play que acabou saindo um churrascão! Quase 90 pessoas foram!
Foi ótimo rever os amigos e família, ver que estão todos bem.
Rir bastante junto, contar as novidades. 

O problema de tirar férias é voltar ao trabalho novamente.
Já não estava lá muito motivada antes pra trabalhar, imagina agora depois das férias!

domingo, 21 de abril de 2013

Greve dos operadores

Os operadores aqui no Oman são meio mimados pelo governo. Trabalham duas semanas sim, duas não, isso significa que trabalham apenas 6 meses por ano. Mas mesmo assim estavam insatisfeitos, pois com uma maré baixa de trabalhos de campo esse ano, o rendimento deles de horas extras reduziu muito.

Não sei muito bem o que aconteceu, pois estava fora da base há vários dias, mas sei que eles entraram em greve. Eles estavam pedindo coisas como aumento de bonus para uns certos tipos de trabalhos, diferenciar horas extras noturnas e diurnas, férias anuais e mais outros detalhes. Foram o ministério do trabalho e o governo estava apoiando eles. 

Foi muito divertido, pois a cada 20 minutos, todos nós engenheiros nos reunimos para fofocarmos sobre a situação e os últimos acontecimentos. Foram dias de  fofocas. Acompanhávamos os movimentos dos operadores por mensagens de whatsapp e sempre nos atualizávamos uns aos outros.

O gerentes da nossa base foram meio radicais, até posso dizer um pouco não profissionais e acabaram piorando a situação da greve. Perdemos vários trabalhos pra concorrência, pois os operadores se recusavam a trabalhar e até a dirigir. Como último recurso, o meu chefe resolveu mandar engenheiros para fazer o trabalho de operadores. Um desastre.

Me mandou um engenheiro que nunca viu o trabalho e um trainee. Com muita sorte me mandou um cara que  trabalhou como operador uns anos atrás e hoje treina novos operadores. Mas uma pessoa sozinha não consegue fazer muita coisa. No final das contas terminamos o sofrido trabalho de campo (com umas 20 horas de atraso) e os operadores voltaram a trabalhar no dia seguinte.

Acordei no dia seguinte como se tivesse escalado 10 montanhas ou cruzado o oceano nadando. Todos os músculos do corpo doloridos. Sempre dei valor ao trabalho dos meus operadores que trabalham dia e noite (algumas vezes 48 graus na sombra).

Depois de tudo isso o gerente da base pediu as contas! Estou ansiosa para as cenas dos próximos capítulos.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Nadir's Room

Dias divertidos
Marmul não é o lugar com mais coisas pra se fazer no mundo. Pra falar a verdade não temos muita diversão por aqui. Não temos muito tempo livre pra isso, mas uma distração no meio tempo faz bem.

Desde que cheguei aqui em Marmul, fiz amizade com Nadir, um engenheiro da Arábia Saudita, amigo em comum da Ludmila (brasileira que estava comigo em Abu Dhabi), do Payam (dividia apartamento comigo na Índia) e Ahmed (trabalhou comigo em Doha). Mundo pequeno esse!

Nadir é uma daquelas pessoas carismáticas e divertidas que acabam juntando todo o pessoal. Assim como eu, todos aqui personalizam seus quartos (containers). O quarto mais personalizado de todos é o do Nadir (aqui falamos Nadir's room) e é sempre o nosso ponto de encontro. Ele tem vários posters divertidos pelas paredes, uma grande TV LCD 40 polegadas (e um HD com milhares de filmes), Xbox, sheesha, chá e caneca para todos e um grande tapete para todos sentarmos no chão.

Dá pra ver o meu ombro!
Sempre que estamos em Marmul, antes ou depois de trabalhos de campo sempre acabamos nos reunindo no tapete do quarto dele para conversa fiada, sheesha e chá (aproveitamos também para atualizar as fofocas e falar mal dos chefes). 
Nadir também é especialista em dispositivos da apple e está sempre atualizando os nossos iPhones e iPads, consertando bugs e trazendo novos aplicativos. 

Estou escrevendo este post em homenagem a um dos meus melhores amigos em Marmul que acabou de receber uma carta de transferência. Todos aqui estão já estão pensando como Marmul será chato e entediante sem Nadir.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Frustração

Essa semana foi uma semana bem estressante pra mim aqui. Não por causa de muitos trabalhos ou que estávamos extremamente ocupados, mas pela constante tensão de conseguir ou não pegar um voo para Muscat. Vou explicar porque:

Eu e mais alguns engenheiros aqui estamos nos preparando para a promoção para "Engenheiros de campo Senior" desde o ano passado. Precisamos de passar por várias etapas como realizar uns testes online, ir a cursos no centro de treinamento (aquele que fui em Abu Dhabi) e ao final umas entrevistas com os gerentes e especialistas (geólogos e petrofísicos por exemplo). As entrevistas são como provas orais para confirmar se o engenheiro está preparado para a promoção ou não. Como os gerentes e especialistas em Muscat são sempre ocupados, as datas para as entrevistas são a primeira semana do mês e temos que agendar com antecedência.

Agendei minhas entrevistas, reservei o voo até a Muscat junto com mais 2 engenheiros. Estudamos juntos e preparamos resumos também. Meu chefe não me deu a palavra final, apenas disse que eu poderia ir se a atividade aqui permitisse. Eu fiquei animada, pois aqui em Marmul nunca tivemos um período tão parado. Fui em apenas 3 trabalhos em 3 semanas e o quadro branco onde penduramos a lista de trabalhos estava quase em branco. Com mais 5 engenheiros na base achei que não haveria nenhum problema.

Até o último minuto eu ainda tinha esperança. Mas no último segundo tive que cancelar os voos, porque meu chefe não me liberou. Senti muito frustrada. Estava me preparando desde o ano passado, motivando o pessoal, ensinando, preparando resumos, etc. Quem me conhece sabe como eu me dedico quando estou motivada.

Não é o fim do mundo, pois mês que vem terei outra oportunidade. O problema é que terei que ficar em Muscat durante os meus dias de folga e a promoção deve atrasar no mínimo mais dois meses. 

Sem contar que fiquei na base e não fui a nenhum trabalho...

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Relaxing in Thailand

Phi phi island

Depois de um intenso final de semana em Bangkok, resolvi passear por praias relaxantes ao sul da Tailândia. Peguei um avião para Phuket (uma península parecida com búzios) e de lá fiz várias passeios de barco por ilhas paradisíacas. 
A primeira parada foi Phi phi island, a ilha onde foi filmado o filme "A Praia" com Leonardo DiCaprio. A praia "Maya beach" é exatamente como no filme, mas um pouco mais movimentada... 
Segundo dia foi de relaxar e andar de jet ski pelas praias de Phuket.
Canoagem
No dia seguinte fui até a ilha Khao Phing Kan, onde foi filmado um filme do James Bond de 1974, " The Man with the Golden Gun", agora a ilha é chamada ilha de James Bond. Fiz canoagem dentro de cavernas das ilhas, muito interessante.
A última parada da viagem foi a ilha de Koh Samui no centro do país, onde passei outros relaxantes dias em um hotel na beira da praia.
Uma noite procurando um restaurante para comer em Koh Samui, sem querer encontrei um restaurante brasileiro chamado Zico's! Quem diria, comi picanha, feijoada e polenta na Tailândia!

Koh Samui


quarta-feira, 20 de março de 2013

Férias na Tailândia

Muita comida boa
Minhas férias começam em Muscat fazendo o meu checkup bimensal assim que volto pra civilização: unhas, cabelo, depilação, massagem, compras, etc. Depois uma pequena social com os amigos, restaurante e sheesha.
Meu voo para a Bangkok foi de classe econômica mesmo (Omã me deixou mal acostumada, todas as meninas vão business class), mas dormi quase todos os segundos da viagem, nem acordei pra comer.
Era cedinho quando cheguei no hotel e desmaiei mais um pouco. Acho que o que eu mais faço em férias é dormir...
A tarde, minha amiga Jojo me pegou no hotel e fomos buscar a namorada dela no hospital que ela trabalha. Sim, ela tem uma namorada. Choca um pouco o pessoal muçulmano lá no Oman, mas ela é tão bem resolvida que o pessoal já se acostumou. A namorada dela não fala muito bem inglês, entende se falarmos devagar, mas nos divertimos bastante. Ela parece uma boneca, vestidinho, maquiagem e unhas longas.

Cabelereiro de rua
Fomos até um restaurante delicioso de frutos do mar e comemos uns 2kg de camarão gigante! Eu nem gosto muito de frutos do mar, mas comi até dizer chega. De sobremesa, comemos umas cinco mangas com arroz grudento (sticky rice), bem típico de lá. As mangas eram incrivelmente doces e saborosas eu não conseguia parar de comer. Tirei a barriga da miséria. Não me importo de recuperar o peso perdido em Marmul comendo maravilhosamente bem. O saldo foi de quase 5 kilos encontrados na Tailândia no final das férias.
Depois do jantar fomos até uma rua chamada Khao san, que me pareceu um pouco uma mistura de Lapa com rua da Alfândega, muitos bares e lojinhas vendendo desde insetos comestíveis a souvenirs "I <3 Thailand".
Resolvi mudar o visual e fiz umas trancinhas no cabelo.

No dia seguinte fomos ao shopping MBK, tipo uma rua Santa Clara 33 em copacabana, e depois ao shopping Siam Paragon (que diferença!). Um shopping de primeira linha, até carros de luxo nas vitrines!
A praça de alimentação é com certeza uma das maiores e melhores que eu já vi na vida (olha eu, já falando de comida de novo). Enquando o casal vinte foi fazer compras rapidinhas no supermercado eu fiquei esperando do lado de fora de uma delicatessen chamada "After you" com uma senha. É claro que eles chamavam os números em tailandês e eu perdi a minha vez. A moça foi boazinha e me deu uma mesa mesmo assim quando eu passei com cara de perdida. A sobremesa estava deliciosa, algo como um pão-bolo com frutas, sorvete e calda.
Foi um ótimo final de semana em Bangkok.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Marmulians

Criamos um termo para quem trabalha aqui em Marmul: Marmulians. Parece nome de raças ou planetas extraterrestres como em filmes tipo Guerra nas Estrelas, por isso achei muito maneiro. E parece que expressão pegou por aqui.

Agora, depois de várias transferências somos os atuais Marmulians:

Alyaa (Malásia), Ana (Eu), Antoine (Líbano-EUA), Hamed (Bahrein), Hu (China), Hugo (UK), Humaid (Omã), Jassim (Bahrein), Jojo (Tailândia), Marwa (Omã), Muath (Bahrein-Sudão), Nadir (Arábia), Nasr (Omã), Taher (Síria)

Outras mudanças irão acontecer em breve, Hu and Taher estão saindo e uma engenheira da Índia está a caminho, Swati (que trabalhou comigo em Baroda, eta mundo pequeno outra vez).

Quase todos aqui temos a mesma faixa etária, o que torna a base relativamente animada e divertida, sempre alguém tirando sarro do outro. Quase todo mundo tem algum apelido, alguns pegaram de vez outros não.

Temos um grupo no Whatsapp, onde sempre estamos sacaneando uns aos outros, mandando piadas, mas também serve pra tirar dúvidas ou pedir ajuda em trabalhos de campo. Sempre existe alguém online para ajudar, em outro trabalho ou em um fuso horário diferente para nos ajudar no meio da noite.

Apesar de passarmos por momentos difíceis no campo e as vezes não temos tempo de socializar muito, sinto que Marmul se tornou minha segunda casa.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Inverno em Marmul

Um pouquinho frio
Esse foi um inverno bem frio pra mim, já não estou muito acostumada com frio. Abaixo de 20 graus no Rio de Janeiro já é motivo pra ficar em casa e não sair.

Aqui em Marmul, a minha sorte foi que recebemos uns casacões de inverno da empresa que seguram bastante o frio. E eu ainda precisei colocar calça e blusa de manga comprida por debaixo do macacão. 
Como eu trabalho as vezes de madrugada, o ventinho frio quase congela os ossos. Alguns dias tive que vestir toucas que cobrem pescoço, nariz e orelha, parecia um ladrão de bancos. Os ventos eram fortes e constantes e a area cobria todo o horizonte. Se a porta ficasse aberta por alguns minutos, tudo ficava coberto de areia!
Casacão
Descobri que eu tinha um pequeno aquecedor no meu quarto e passei a usar todos as noites para dormir. O problema eram os dias que eu ia dormir em acampamentos do cliente, sem aquecedor. Houve dias que tive que dormir vestindo o casacão de inverno e ainda sim tive muitas dificuldades pra pegar no sono e acordei com dores no corpo.

Agora o tempo já está voltando a ficar quente, não preciso mais usar o casaco nem de manhã. 
Tempestade de areia

Foi um turno bem difícil, muitos desafios novos, mas acho que cresci bastante. Agora estou planejando minhas relaxantes férias na Tailândia... 


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Saudade saudável

Cachorrinhos com coração
Companheiro de cama
Minha mesa
Mural de fotos + tsuru



















Claro que eu tenho saudades da família, dos amigos, do Brasil.
É por isso que eu trouxe vários pedacinhos do Brasil para cá. Na minha mesa do escritório tenho bandeiras e cartões postais do Rio. No meu quarto tenho presentes como travesseiro, cachorrinhos de pelúcia e tsurus. E agora o semi-completo mural de fotos. Tenho algumas fotos repetidas, preciso imprimir novas pois algumas pessoas aindas estão faltando.
Mas não fico triste porque tenho saudades, sinto que é uma saudade saudável que faz bem, lembrar das coisas boas do Brasil.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A vida não é só descanso e finais de semana

Já estou no início da sexta semana aqui e posso dizer que ainda estou de bom humor.
Uma coisa me intriga bastante aqui, não é só aqui, acho que se aplica a outras situações também.
Algumas pessoas quando chegam aqui depois dos dias de folga, estão sempre reclamando que estão de volta. Reclamando da tristeza que é pegar um avião até Marmul, da falta de vontade de trabalhar, como estão insatisfeitos. Entendo a parte da saudade das pessoas que deixaram pra trás, mas não é isso que estão reclamando. Um trainee novo chegou aqui e falou que eu era uma das únicas pessoas que estava sorrindo na primeira semana.
Eu penso o seguinte, o trabalho é uma parte da nossa vida. Pra falar verdade, ocupa uma grande parte dela.
Se não estamos satisfeitos, estamos tornando uma grande parte da nossa vida miserável.
Acho que aqueles que tomam a iniciativa e a coragem de procurar um novo emprego mais adequado a sua personalidade estão completamente corretos. 
Eu tenho sorte, achei um trabalho que gosto bastante e ainda me dá a oportunidade de fazer outra coisa que eu gosto muito, que é viajar.
Mas tenho consciência que o dia que eu começar a acordar infeliz, sem motivação para trabalhar, vou aproveitar para mudar o rumo.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Ano novo de grandes mudanças

Já faz bastante tempo que não posto aqui no blog, não gosto muito de deixar abandonado, mas foi um final de ano de muitas mudanças.
Tinha planejado umas postagens para as férias de final de ano com o pé torcido, pernas pro ar no sofá e o natal em família, mas não chegaram ao papel (as teclas hoje em dia).

As férias não foras as melhores férias do mundo, a única coisa boa que aconteceu é que descansei bastante com os pés para cima. Não aproveitei a praia, os amigos, mal tive tempo de aproveitar a família.

Minhas resoluções de ano novo sempre são parecidas: sempre começam com parar de roer unhas.
Este ano quero viajar mais.
Ao mesmo tempo quero passar mais tempo com a família.
Visitar mais amigos.
Quero aproveitar mais oportunidades.
Investir na minha carreira.
Aprender sempre mais.
Ler mais livros.
Comer mais coisas gostosas.
Conhecer mais pessoas diferentes.

O ano seguinte sempre promete ser melhor que o anterior.