quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Marmulians

Criamos um termo para quem trabalha aqui em Marmul: Marmulians. Parece nome de raças ou planetas extraterrestres como em filmes tipo Guerra nas Estrelas, por isso achei muito maneiro. E parece que expressão pegou por aqui.

Agora, depois de várias transferências somos os atuais Marmulians:

Alyaa (Malásia), Ana (Eu), Antoine (Líbano-EUA), Hamed (Bahrein), Hu (China), Hugo (UK), Humaid (Omã), Jassim (Bahrein), Jojo (Tailândia), Marwa (Omã), Muath (Bahrein-Sudão), Nadir (Arábia), Nasr (Omã), Taher (Síria)

Outras mudanças irão acontecer em breve, Hu and Taher estão saindo e uma engenheira da Índia está a caminho, Swati (que trabalhou comigo em Baroda, eta mundo pequeno outra vez).

Quase todos aqui temos a mesma faixa etária, o que torna a base relativamente animada e divertida, sempre alguém tirando sarro do outro. Quase todo mundo tem algum apelido, alguns pegaram de vez outros não.

Temos um grupo no Whatsapp, onde sempre estamos sacaneando uns aos outros, mandando piadas, mas também serve pra tirar dúvidas ou pedir ajuda em trabalhos de campo. Sempre existe alguém online para ajudar, em outro trabalho ou em um fuso horário diferente para nos ajudar no meio da noite.

Apesar de passarmos por momentos difíceis no campo e as vezes não temos tempo de socializar muito, sinto que Marmul se tornou minha segunda casa.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Inverno em Marmul

Um pouquinho frio
Esse foi um inverno bem frio pra mim, já não estou muito acostumada com frio. Abaixo de 20 graus no Rio de Janeiro já é motivo pra ficar em casa e não sair.

Aqui em Marmul, a minha sorte foi que recebemos uns casacões de inverno da empresa que seguram bastante o frio. E eu ainda precisei colocar calça e blusa de manga comprida por debaixo do macacão. 
Como eu trabalho as vezes de madrugada, o ventinho frio quase congela os ossos. Alguns dias tive que vestir toucas que cobrem pescoço, nariz e orelha, parecia um ladrão de bancos. Os ventos eram fortes e constantes e a area cobria todo o horizonte. Se a porta ficasse aberta por alguns minutos, tudo ficava coberto de areia!
Casacão
Descobri que eu tinha um pequeno aquecedor no meu quarto e passei a usar todos as noites para dormir. O problema eram os dias que eu ia dormir em acampamentos do cliente, sem aquecedor. Houve dias que tive que dormir vestindo o casacão de inverno e ainda sim tive muitas dificuldades pra pegar no sono e acordei com dores no corpo.

Agora o tempo já está voltando a ficar quente, não preciso mais usar o casaco nem de manhã. 
Tempestade de areia

Foi um turno bem difícil, muitos desafios novos, mas acho que cresci bastante. Agora estou planejando minhas relaxantes férias na Tailândia... 


sábado, 23 de fevereiro de 2013

Saudade saudável

Cachorrinhos com coração
Companheiro de cama
Minha mesa
Mural de fotos + tsuru



















Claro que eu tenho saudades da família, dos amigos, do Brasil.
É por isso que eu trouxe vários pedacinhos do Brasil para cá. Na minha mesa do escritório tenho bandeiras e cartões postais do Rio. No meu quarto tenho presentes como travesseiro, cachorrinhos de pelúcia e tsurus. E agora o semi-completo mural de fotos. Tenho algumas fotos repetidas, preciso imprimir novas pois algumas pessoas aindas estão faltando.
Mas não fico triste porque tenho saudades, sinto que é uma saudade saudável que faz bem, lembrar das coisas boas do Brasil.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

A vida não é só descanso e finais de semana

Já estou no início da sexta semana aqui e posso dizer que ainda estou de bom humor.
Uma coisa me intriga bastante aqui, não é só aqui, acho que se aplica a outras situações também.
Algumas pessoas quando chegam aqui depois dos dias de folga, estão sempre reclamando que estão de volta. Reclamando da tristeza que é pegar um avião até Marmul, da falta de vontade de trabalhar, como estão insatisfeitos. Entendo a parte da saudade das pessoas que deixaram pra trás, mas não é isso que estão reclamando. Um trainee novo chegou aqui e falou que eu era uma das únicas pessoas que estava sorrindo na primeira semana.
Eu penso o seguinte, o trabalho é uma parte da nossa vida. Pra falar verdade, ocupa uma grande parte dela.
Se não estamos satisfeitos, estamos tornando uma grande parte da nossa vida miserável.
Acho que aqueles que tomam a iniciativa e a coragem de procurar um novo emprego mais adequado a sua personalidade estão completamente corretos. 
Eu tenho sorte, achei um trabalho que gosto bastante e ainda me dá a oportunidade de fazer outra coisa que eu gosto muito, que é viajar.
Mas tenho consciência que o dia que eu começar a acordar infeliz, sem motivação para trabalhar, vou aproveitar para mudar o rumo.