terça-feira, 28 de agosto de 2012

رمضان

O título para os que não sabem árabe: Ramadã.

Resolvi escrever um post sobre o Ramadã, já que vivenciei os últimos dias desse mês muito importante para os muçulmanos.
O calendário islâmico é diferente do nosso, eles seguem o ciclo da lua e não do sol. Logo, a cada ano o mês do Ramadã é 11 dias mais cedo em relação ao nosso calendário.
Neste mês os muçulmanos devem se aproximar mais da religião, precisam fazer jejum entre o nascer do sol e o por do sol, de comida, de água, de cigarro, de sexo, de palavrões, de pensamentos ruins, etc. É um jejum bem mais completo do que apenas deixar de comer. Devem ser mais generosos e refletir sobre suas atitudes e pensamentos. Vou falar sobre a minha experiencia por aqui, mas para saber mais detalhes sobre o Ramadã clique aqui (inglês) e aqui (português).

Aqui em Marmul, os horários de trabalho mudam e as regras para viagens de carro também. Não é possível começar uma jornada depois das duas da tarde, pois os motoristas estão muito cansados por causa do jejum. Trabalhamos das sete da manhã até uma da tarde sem intervalo de almoço. Depois todos voltam para o acampamento e descansam até o Iftar, a refeição de quebra do jejum quando o sol se põe, por volta das sete horas da noite aqui no Oman. Se temos um trabalho de campo em breve, voltamos à noite para a base, mas se não há trabalho, podemos ficar no acampamento descansando (caso ideal que ainda não aconteceu comigo).

O Iftar aqui em Marmul acontece ao redor da piscina, onde é estendido um longo tapete e várias bandejas de comidas são servidas. Depois da chamada do autofalante com palavras em árabe que eu não sei o que significa, todos quebram o jejum comendo tâmaras e bebendo água ou leite. Depois passam a comer das outras bandejas de comida. Aqui eles tem umas tâmaras muito boas, fresquinhas, recém tiradas das árvores!
Depois do Iftar todos vão para a mesquita para oração.

A primeira refeição, o pré-jejum, o Suhoor acontece antes do sol nascer, algumas pessoas acordam para comer outras não. Aqui nos países do golfo é proibido comer, beber e fumar em público durante esse mês(durante o dia).
O Suhoor lá em Londres acontecia as duas e meia da manhã e o Iftar as nove horas da noite. Imagina ficar tanto tempo sem beber água...

Churrasquinho de Camelo
Depois do mês do Ramadã, vem a comemoração, o Eid-ul-fitr, que é um feriado de 3 dias que as pessoas passam com as famílias e dão presentes (dinheiro) para as crianças. Aqui em Marmul, no acampamento, eles mataram uma vaca e várias cabras para comemorar.

Como eu estava no campo e não no acampamento, aproveitamos para comer churrasco de carne de camelo!



quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Férias na Europa! Parte 3: Londres

Fui ao meu museu preferido, o Science Museum, aquele que vc pode mexer em tudo! Passeei pela Harrods, aquele shopping super caro, que os donos são os árabes do Qatar, e tomei o melhor chocolate quente do mundo! Fui na Casa Brasil, um lugar onde acontecia exposições e outras coisas relacionadas ao Brasil. Acompanhamos as Olimpíadas todos os dias e foi legal estar no Reino Unido e ver o Reino Unido se dando muito bem em várias categorias. Várias pessoas nas ruas com rostos pintados e usando as cores de seus respectivos países. Deverá ser legal estar no Rio em 2016 e ver o Brasil se "dando bem" em várias categorias. 

Fazíamos comida em casa, íamos fazer compritas no shopping perto do parque olímpico, que por sinal estava bem cheio por causa das olimpíadas. Comi fish and chips, pizza na lenha, cozinhamos macarrão, compramos muitas tortas gostosas e nos dois últimos dias fui a dois originais churrascos brasileiros! Com direito a picanha, farofa e guaraná!

A viagem foi muito boa e foi muito triste voltar para o deserto, como sempre.
Agora apenas uma semana de férias em outubro (ou melhor 5 dias de férias + 2 dentro de avião) antes do treinamento. E depois se tudo der certo, passarei o Natal no Brasil.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Férias na Europa! Parte 2: Barcelona

Palau de la Musica Catalana
Pegamos um trem noturno de Paris até Barcelona, pois a idéia era economizar na estadia, dormir em Paris e acordar em Barcelona! Porém, tivemos tanta dor de cabeça com a passagem de trem, que era pra ser enviada pelo correio até o nosso hotel, mas não chegou. Fomos até a estação de trem resolver, no final das contas tivemos que comprar outra passagem e pedir reembolso da anterior. A pessoa que imprimiu as passagens nos deu o número de um vagão inexistente, nos barraram na entrada do trem e ainda descobrimos que uma de nossas camas não estavam na mesma cabine!
Mas pelo menos para mim foi uma ótima noite de sono, dormi umas 10 horas...

Casa Batlló
Em Barcelona, fomos andando da estação de trem até o nosso albergue, que por sinal era bem localizado. Deixamos as malas, pois ainda era cedo para fazer o check-in e fomos passear.
Começamos andando pelas Ramblas, uma rua movimentada cheia de lojinhas e restaurantes. Resolvemos entrar em um museu diferente pelo caminho (erótico... hehe), comemos bolinho de bacalhau no mercado da Boqueria, passeamos pelo bairro gótico, vimos os velhinhos dançando a sardana (típica dança catalã) em frente a catedral. À noite resolvemos ir num tal the pub craw que no final acabou sendo uma furada.

Fiquei doente com a gripe intercontinental trazida pela Ana Paula, que ficou doente em Londres, depois a Su ficou doente em Paris e sobrou pra mim ficar doente em Barcelona. Fiquei na cama um dia e meio e as meninas traziam comida pra mim na cama!
Catalão a lingua mais engraçada
Nos dias que estava boa, passeamos bastante pela cidade, visitamos as obras de gaudi (casa milla, casa batllo), fomos ao palau da musica catalana, comemos comidas típicas e não típicas, fomos a praia (onde as pessoas faziam top less!) e na nossa última noite tivemos uma boa night perto do albergue. Viramos essa noite, já que o voo das meninas era de manhã cedo.
Depois que elas foram embora, fiquei sozinha até o final do dia, pois o meu voo era de noite. Foi ao mesmo tempo legal e chato. Consegui aproveitar um pouco, fui ao museu de cera, no pargue guell e comprei algumas coisas que eu precisava no Corte Inglês. Mas ao mesmo tempo não tinha nenhuma das duas de companhia e ninguém pra rir comigo do catalão.

Fiz uma votação e definitivamente o catalão é a língua mais engraçada para nós que falamos português. Antes eu ria um pouco do françês ou do castellano, mas de longe as palavras em catalão são as mais divertidas. Tudo tem um segundo significado em português, como cruz e paz (procure no google, não vou escrever aqui).

E então embarquei rumo a Londres, meu último destino da viagem...

domingo, 12 de agosto de 2012

Férias na Europa! Parte 1: Paris

Deixando pra trás o pequeno episódio de correria para fazer as malas em 5 minutos e estresse de quase perder o voo devido a alguns atrasos no campo, consegui finalmente chegar em Paris, depois de 8 semanas isolada no deserto. Estava realmente precisando de férias, estava muito estressada nos últimos dias e até tive um episódio de desidratação.

Em paris, o acesso ao metro estava fechado, por que algum idiota deixou a mala sozinha e a polícia não deixa passar até descobrir o dono da mala, já que pode ser bomba ou algo assim. O idiota apareceu uma hora depois, enquanto isso aproveitei pra descobrir como chegar no hotel de trem e pegar algum dinheiro (deixei meus euros em marmul na correria).

Encontrei as meninas no hotel (Ana Paula e Susanna) e fomos comprar coisitas para comer no supermercado. Adoro supermercados da Europa, tenho vontade de comprar todos os queijos, frios, pães, doces... Compramos jamon e queijo Gruyere, salmão defumado, mil tipos de pães, pra fazer sanduíches pra comer ao longo do dia.
Passeamos na Champs-Elysees, fizemos picnic na grama em frente a torre, fizemos amizade com um francês que não falava inglês e jantamos num restaurante árabe, só pra variar o meu cardápio...
Nos dias seguintes fizemos vários passeios turísticos como Museo D'Orsey, l'orangerie, galeries lafayette, Torre eiffel, passeios de bicicleta pela cidade, Museo Rodin, Arc du Triumph, pubs, etc.

Não sei porque razão confundimos o dia da ida pra Barcelona e só descobrimos quando fomos resolver um problema com o ticket na estação de trem. Tínhamos que fazer as malas ainda, mas já havia passado o horário do checkout! A Ana Paula voltou pro hotel e conversou com o pessoal do hotel, enquanto eu e a Su ficamos pra resolver o problema. No final deu tudo certo, conseguimos o ticket, fazer as malas em 20 minutos e ainda aproveitar o resto do dia indo ao Louvre e a Basilica de Sacré Coeur no bairro de Montmartre.