sábado, 19 de outubro de 2013

Férias em Bahrain

Bahrain não é um país muito grande, pra falar a verdade é bem pequeno. Acabei encontrando por acaso um dos engenheiros de Marmul fazendo um lanchinho de madrugada numa lanchonete.

Nessas férias de setembro o plano era passar uns 4-5 dias em bahrain e o resto no Brasil, passagens já compradas e visto em andamento na embaixada em Mascate. Acabou que o visto atrasou (e a idiota da secretária diz que não poderemos emitir o visto por esta embaixada da próxima vez) e o Ahmed teve uns assuntos de familia e trabalho pra resolver, logo a viagem para o brasil teve que ser adiada para novembro.

Como a longa estadia em Bahrain não estava planejada, não tinha roupas para vestir por mais que 4-5 dias. Não podia sair para mais de um almoço ou jantar fora, pois só tinha uma roupa de sair. Comentei com o Ahmed minha situação de emergência, pois se tivermos que sair com a sua família não tenho o que vestir. Ele imediatamente comunicou as irmãs que tomaram aquela emergência como sendo delas próprias.

Experimentando abayas
Logo depois do almoço fomos passear no shopping e me deram um grande banho de lojas. Compramos várias roupinhas básicas, calças, camisas, vestidos e sandália baixa. Falei que salto alto e roupas não-convencionais ficam para a próxima. Aqueles que me conhecem sabe como sou difícil quando o assunto é comprar coisas para mim.

A estadia em Bahrain foi muito boa, a família dele me recebeu muito bem, a mãe dele cozinhou quase todos os dias comidas caseiras deliciosas, assisti todos os filmes em cartaz no cinema (com excessão dos filmes de terror que não faço questão de assistir),  jantei em restaurantes muito bons, fiz compritas para mim etc.

Os pontos negativos foram que o visto não saiu a tempo e tivemos que ir para a base da empresa durante vários dias das férias (resolver assuntos pendentes que não podiam esperar mais 3 semanas).

O maior ponto positivo das férias.... Cenas do próximo capítulo.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Estava eu na minha mesa de trabalho

Estava eu na minha mesa de trabalho, preparando alguns documentos pendentes quando o chefão grita o meu nome no corredor. Tudo bem, eu pensei, pode ser que ele vai me perguntar como anda o meu trabalho.

Mas aí ele me chamou para a sala com os outros dois chefes e fechou a porta. Me falaram que quando todos os chefes estão juntos e fecham a porta só pode ser coisa séria (ou feia).

Eles começaram a me fazer perguntas sobre o meu trabalho, como anda aquele relatório, como anda aquele problema, se já resolvi, etc.

Começaram a falar dos problemas da base que aconteceram no mês passado, inclusive sobre os problemas que estive envolvida. Meio que entrei em pânico. Vão me dar uma advertência pelas besteiras que fiz antes de sair de férias. Até porque sai de férias meio na pressa e deixei várias coisas pra trás.

Me perguntaram há quanto tempo estava em Fahud. Eu falei apenas 2 meses. Achei que eles tinham percebido o quanto eu estava séria e preocupada, mas caíram na risada. Não sei se saia ou continuava em modo pânico.

Observei que havia um envelope com o meu nome na mesa. Só podia ser a carta de advertência.

Eles falaram então que essa deve ser a promoção mais rápida da história de Fahud.

Agora caiu a ficha. Modo pânico se foi e fiquei aliviada. Era a minha carta de promoção, ufa.